Casa Tuga

Archive for the ‘Ciência’ Category

Não existe nada errado com o jeito que a gente faz churrasco hoje em dia. Mas se você já comeu carne assada em uma pedra escaldante, você sabe que existe muito mais técnicas de churrasco entre o céu e a terra do que a nossa vã filosofia pode supor.

churrascos com pedra
O conceito do Pebbles Grill é mais ou menos uma reinterpretação do George Foreman Grill, só que usando pedras realmente quentes. Elementos eléctricos em série esquentam essas pedras até níveis perigo samente deliciosos – existem luzes para te avisar disso – e daí e só dobrar o grill por cima da comida a ser assada. A gente imagina que a carne provavelmente vai sair marcada de bolinhas engraçadas e tal. Mas eu nunca deixei de comer uma coisa só porque ela usa moda dos anos 90. Se é que vocês me entendem.

Fonte: Gizmodo Brasil

Churrascos com Pedra 2

Anúncios

Se você é um cientista sem grana, que bebe vinho vagabundo, mas tem uns eléctrodos de titânio no seu laboratório de fundo de quintal, hoje é seu dia de sorte. Uma pesquisa descobriu que electricidade pode melhorar bastante os vinhos.

Cientistas e enólogos descobriram que é possível envelhecer vinho usando eléctrodos bem poderosos. Isso faria com aqueles vinhos vagabundos e horríveis que você costuma tomar ficassem com um sabor mais agradável. A técnica foi amplamente usada em vinhos jovens, mas também melhorou o gosto de vinhos CientistaVinhosujos e vagabundos. O processo consiste em passar a bebida por um cano entre eléctrodos de titânio, o que aumenta as reacções entre o álcool e os ácidos. Essas reacções produzem éster, que faz com que o sabor melhore.
Eles também descobriram que muita electricidade pode criar novos e poderosos vinhos ruins. Mas o processo aparentemente funciona mesmo, já que foram feitos testes com aqueles enólogos esnobes e eles confirmaram que o sabor do vinho, depois da aplicação, é bom. Essa pesquisa começou na China, graças ao químico Xin An Zeng, e agora várias vinícolas de lá estão investigando as possibilidades de negócio com essa tecnologia nova.

Os portugueses já deviam estar a fazer o mesmo, grande oportunidade de redução de custos, sem ter de usar robos, perfeito.

Fonte: Gizmodo Brasil

Se fores como muitos outros milhões de portugueses, que desde que acordam até se deitarem andas sempre com o telemóvel atrás, e tens sempre cuidado descarregando a bateria para evitar problemas de viciamento recomendo que leias o que Filipe Lourenço descobriu (de fontes credíveis) sobre o efeito de memoria nas baterias (Quando Fica Viciada)

baterias telemovel litio

Possível viciamento da bateria:
No caso das baterias de lítio, esta regra não se aplica, portanto o andar a descarregar completamente e carregar apenas quando descarregada é completamente inútil e até prejudicial.
A bateria de lítio pode ser carregada qualquer que seja a sua carga actual.

O mesmo acontece nos computadores portateis, não há qualquer problema…

Continua a ler em : Tudo Sobre Baterías de Lítio

homer-simpson-wallpaper-brain-1024 Ha tempos atrás, discutia-se sobre a possiblidade da facilidade com que se faz pesquisas no Google (e qualquer outro motor de busca) pudesse tornar-nos “burros”. Mas recentemente a ideia de Carr, foi contradita por Neurocientistas da Universidade da California, que segundo eles, fazer pesquisas na internet excita mais o cérebro do que ler, fazer um puzzle, palavras cruzadas, e qualquer outro jogo de “Exercitar a mente”.

 

Aqui fica um excerto do TeleGraph:

Scientists discovered that searching the world wide web exercised the mind far more than reading and was similar to completing crosswords and puzzles.

Brain scans showed that going online stimulated larger parts of the brain than the relatively passive activity of reading a novel or non-fiction book.

It was so stimulating that the authors of the study believe it could actually help people maintain healthier brains into their old age.

“The study results are encouraging, that emerging computerised technologies may have physiological effects and potential benefits for middle-aged and older adults,” said principal investigator Dr. Gary Small, a professor at the Semel Institute for Neuroscience and Human Behavior at University of California.

“Internet searching engages complicated brain activity, which may help exercise and improve brain function.

Estão todos vivos ??

Ainda bem, hoje o LHC foi usado apenas para alguns testes. Ficando assim adiado o fim do mundo para daqui a dois meses.

firstbeam1_0

Aproveitem para tentar a sorte com a rapariga dos vossos sonhos 😛

O LHC (Large Hadron Collider) está a horas de entrar em acção. O projecto que está em desenvolvimento á uns impressionantes 20 anos, e custou cerca de quatro milhões de euros. Entra esta quarta feira em funcionamento.

LHC Large Hadron Collider O LHC, aparelho que permite recriar as condições do «Big Bang», vai ser activado pelo CERN (Centro Europeu de Investigação Nuclear) , com o objectivo de saber mais sobre a natureza da matéria.

«É como ir a Marte», disse Brian Cox, físico da Universidade de Manchester. «Sabemos que vamos encontrar algo novo porque estamos a viajar por onde nunca ninguém esteve», acrescentou.

Para a ocasião, os cientistas do CERN lançaram protões em direcções opostas quase à velocidade da luz no núcleo do LHC – um anel metálico de 27 km, cuja temperatura interior alcançará os 271 graus negativos.

Cumpridas as expectativas, as partículas colidirão no interior do LHC aproximadamente 600 milhões de vezes por segundo.

Maria Chamizo, investigadora espanhola do CIEMAT (Centro de Investigações Energéticas, do Ambiente e Tecnológicas), explica que «o que se descobrir com este acelerador de partículas permitirá compreender melhor o universo e as teorias que explicam como evoluiu».

Entretanto um grupo de cientistas, preocupados com o fim do planeta Terra, levantaram objecções sobre o funcionamento do aparelho, queixando-se ao Tribunal dos Direitos Humanos de Estrasburgo (França) a paralisação do projecto. Devido á possiblidade do aparelho criar um buraco negro com consequências apocalípticas, pondo o nosso planeta em risco de ser “engolido”.

Robert Aymar, director geral do CERN, já emitiu um comunicado no seguimento destas alegações para tranquilizar todos os que temem pelo «fim do mundo», dizendo que «O LHC é seguro e qualquer sugestão que seja perigoso é pura ficção».

LHC-sim

Se alguem quiser, pode vir para o meu abrigo nuclear.

(Se tiveres 500€ á mão 😀 )

 

Fonte:Xicórias & Xicorações

A extinção dos neandertais não foi porque eram menos inteligentes do que o homo sapiens, o antepassado direto do homem moderno, assegura um estudo realizado sobre as ferramentas usadas por ambos os grupos primatas.

Os resultados da pesquisa publicados nesta segunda-feira, 25, pela revista “Journal of Human Evolution” são uma nova prova que refuta a suposta superioridade intelectual dos homo sapiens e que foi defendida durante mais de 60 anos, segundo os cientistas.

Evolução do Homem - Men Evolution

Esta pesquisa soma-se a outros estudos, segundo os quais os “neandertais” eram tão bons caçadores como os homo sapiens. Também afirmam que não existiam diferenças notáveis entre os dois grupos em sua capacidade de comunicação.

Os neandertais usavam ferramentas de pedra que em geral eram sem ponta, enquanto os homo sapiens usavam pedras mais afiadas que, para muitos arqueólogos, eram prova de seu intelecto superior.

Essas ferramentas foram produzidas pelo homo sapiens durante a colonização da Europa, há aproximadamente 40 mil anos.

Há até pouco tempo, se achava que com essas ferramentas ou armas os antepassados do homem tinham superado e terminado por expulsar seus rivais da Idade de Pedra.

No entanto, os cientistas da Universidade de Exeter, da Universidade Metodista do Sul e da Universidade Estadual do Texas, dizem que não existe diferença na eficácia das duas tecnologias e, mais ainda, é possível que as ferramentas usadas pelos neandertais tenham sido melhores do que as do homo sapiens.

Os neandertais, que seriam uma espécie diferente do homo sapiens, surgiram durante a glaciação européia, enquanto os antepassados do homem apareceram na África e se espalharam pelo resto do mundo entre 40 e 50 mil anos atrás.

Acredita-se que os neandertais tenham se extinguido há cerca de 28 mil anos, o que sugere pelo menos dez mil anos de possível interação com os homo sapiens.